A ÁGUA NA NATUREZA E NA VIDA DOS HOMENS

Capa - Água na Natureza e na Vida dos Homens

Páginas: 144

ISBN: 85-98239-02-X

Edição: 1ª

Lançamento: 2004

Editora: Idéias & Letras

Todos os seres vivos precisam de água. No entanto, este livro mostra uma grande verdade: não tem água para tudo, nem para todos. Os ecossistemas são os grandes necessitados dos dias de hoje. Sem eles não haverá sequer “produção” adequada de água para os humanos, nem alimentos, nem lazer, nem pesca, nem turismo, nem geração de energia, nem navegação, nem irrigação. É bom fechar a torneira quando escovamos os dentes, talvez como atitude simbólica, mas isso não pode nos desviar dos grandes problemas da gestão dos recursos hídricos. A gestão da água coloca desafios em outros patamares.

O mérito deste livro, escrito por um profundo conhecedor do tema, mas também dotado de uma extraordinária sensibilidade espiritual e humana, é o de ajudar o leitor a olhar para os ecossistemas em outra perspectiva. Ao desvendar alguns mitos e inverdades históricas, o livro desenvolve um novo olhar sobre as águas.

O livro começa responde a uma simples e complexa pergunta: O que é a água? Um mineral precioso e caprichoso. E analisa a água da Terra e no Brasil, abordando a situação das principais bacias hidrográficas e biomas brasileiros. O livro trata também do uso múltiplo das águas no Brasil: água para os ecossistemas; a solução do saneamento, o consumo e abastecimento da população; a irrigação: água para as plantas; o transporte e navegação em leitos de águas; a geração de energia pela água; as águas do lazer e do turismo; a pesca e a aquicultura; o uso industrial e reuso da água e o uso terapêutico e residencial das águas minerais. Aborda também uma verdadeira história da água no Brasil ao apresentar a legislação das águas desde o século XVI; os brasileiros na defesa das águas durante a Coroa portuguesa e o Império do Brasil; o processo de inculturação das águas indígenas e luso-brasileiras e finalmente, as águas brasileiras como um território do sagrado.

Muito além de números, tabelas e tecnologias, esse livro ilustra como o destino das bacias hidrográficas e de sua preservação pede atenção espiritual, memória histórica, estratégias de gestão, compreensão cultural e participação social e democrática.