UM TESOURO ESCONDIDO EM SUA COZINHA


(31/7/2011)

Evaristo Eduardo de Miranda

Quem nunca ouviu a expressão: Conhece-te a ti mesmo! Segundo a tradição, esse aforismo estaria inscrito nos pórticos do Oráculo de Delfos, na Antiga Grécia. Ele foi tomado como a pedra angular da filosofia de Sócrates, como ponto de partida do “eu” socrático. Sócrates fez da filosofia um exame incessante de si próprio e dos outros, de si próprio em relação aos outros e dos outros em relação a si próprio.

Santos, mestres e líderes espirituais devem ajudar seus discípulos a descobrirem-se a si mesmos. A encontrarem a riqueza de respostas que encerra sua vida interior, sua vida espiritual. Isso é como um antídoto contra o culto da personalidade, tão comum em movimentos sociais, políticos, religiosos e em regimes e governos ditatoriais.

O judaísmo hassídico conta que na Polônia do século XVIII, vivia em Cracóvia um judeu chamado Eisiq filho de Yankel. Uma noite, ele teve um sonho: um homem lhe dizia para ir até Praga e que se ele cavasse sob o terceiro pilar da ponte do Palácio Real, ele encontraria um tesouro. Ele não deu atenção. Mas o sonho voltou a repetir-se uma segunda e uma terceira vez. Finalmente, Eisiq preparou suas coisas, seu sapato de caminhada e deixou a cidade de Cracóvia rumo a Praga.

Quando chegou, foi até a ponte e tentou cavar. A Guarda Imperial vigiava o local e o surpreendeu. O capitão o interpelou:

O que você está fazendo? O que está buscando?

Rabi Eisiq, com sua honestidade costumeira, sem dizer-lhe quem era, contou o seu sonho. O capitão deu uma gargalhada e lhe disse:

Meu pobre amigo! Imagine se eu também escutasse meus sonhos! A noite passada, eu sonhei que deveria ir até Cracóvia, na casa de um judeu chamado Eisiq filho de Yankel e sob o seu forno, encontraria um tesouro enterrado! Só faltava eu ir até uma cidade distante onde metade dos judeus se chama Eisiq e a outra metade Yankel, devido a um sonho!

O rabi Eisiq filho de Yankel estampou um largo sorriso, agradeceu ao capitão, retornou para Cracóvia e encontrou um tesouro enterrado sob seu forno de fazer pão.

Todos cristãos devem ir até Praga para descobrir que existe um tesouro em Cracóvia. Vamos à igreja, participamos de pastorais, militamos em movimentos, buscamos instrução em seminários, cursos e leituras para irmos a nós mesmos. Como na psicanálise, devemos passar pela palavra do outro, para que possamos ouvir o ressoar de nossas próprias palavras.

Jesus convida seus discípulos a buscar e cavoucar em terrenos desconhecidos. O reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido (Mt 13,44). É na força do diálogo e do encontro com o outro, na família, na comunidade, no trabalho, na internet e no mundo que, pela via espiritual, descobriremos os tesouros enterrados sob o chão de nossas cozinhas.

Publicado em:

MIRANDA, Evaristo Eduardo de. Um Tesouro Escondido em sua Cozinha. Jornal Universidade, Curitiba – PR, v. 145, p. 5 – 5, 2011.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *