SEIS, SETE E TREZE


(2/12/2001)

Evaristo Eduardo de Miranda

Estas considerações são estritamente bíblicas, dentro da tradição judaica-cristã e da cabalá e nada têm a ver com numerologia e outras interpretações numerológicas.

O número 6, shishi.

União. Fecundação. Gerações. Multiplicidade.

O símbolo do homem, criado no sexto dia.

Corresponde com as letras e números: Vaf 6, Samesh 60, Mem final 600.

A letra Vaf, correspondente ao seis, no alfabeto hebraico.

O Vaf evoca a união pois é usada como nossa conjunção “ e ”.

Lembra um gancho que une duas partes, que penetra no anterior para uni-lo com o posterior, o passado com o futuro. É um presente ultra-passado.

Muito destacada na mística judaica pois associada aos ciclos autônomos nas escrituras sagradas e particularmente no Gênesis.

A expressão famosa Ele toldot significa: “Estas são as gerações…” ou “Estes são os nascimentos…”. Multiplicidades. Existem 4 Ele toldot no Gênesis.

O primeiro Ele toldot está no relato da criação (Gn 2,4).

O segundo Ele toldot vem no Gn 6,9 (Estas são as gerações de Noé…).

O terceiro vem no Gn 11,10 (Estas são as gerações de Sem).

O quarto está no Gn 37,2 (Estas são as gerações de Yaacov…).

São somente quatro registros de gerações!

Mas a escritura revela outros registros de gerações, anunciados com um Vaf inicial, Ve ele toldot. Existem seis Ve ele toldot até a revelação do Sinai!

Ve ele toldot Gn 10,1 – E estas são as gerações de Noé

Ve ele toldot Gn 11,27 – E estas são as geraçõe de Terach

Ve ele toldot Gn 25,12 – E estas são as gerações de Ismael

Ve ele toldot Gn 25,19 – E estas são as gerações de Isaac

Ve ele toldot Gn 36,1 – E estas são as gerações de Esaú

Ve ele toldot Gn 36,9 – E estas são as gerações de Esaú (por segunda vez)

Os 4 ele toldot trazem consigo os 6 Ve ele toldot e compõe a totalidade do 10.

O mundo foi criado em seis dias.

Sexto dia, dia da criação do homem a semelhança de Deus.

O homem é o fruto da criação do sexto dia.

O homem, a pomba e o ramo de oliveira.

Azeite, Shemem, produto da oliveira evoca na unção a Presença de Deus.

Presença de Deus (Shem, Nome).

Dia sexto. O homem ainda no paraíso, máxima realização.

O mundo prévio a nossa realização.

O homem entra neste mundo no dia 7.

Seis, como o escudo de seis pontas de David. Conjunção de dois triângulos opostos.

A tradição já considerou um triângulo reto como a expressando a natureza humana de Jesus e o outro sua natureza divina, a estrela de David expressando a união das duas naturezas. União de opostos. Paraíso.

Sexta jarra de Caná. Jesus a sétima jarra.

Os seis maridos da samaritana. Jesus o verdadeiro esposo.

Sexto mês de gravidez de Isabel. Bendito o fruto do teu ventre.

Isabel e Miriam se encontram no sexto mês do ano.

No sexto mês, no seis, o face a face nupcial dos dois testamentos.

O número 7, sheba.

A letra zayin vale 7, significa arma. A arma do lembrar-se. A arma da consciência, do recordar-se, da teshuvá.

70 é o ayin (significa olho, fonte) e 700 o nun final.

Lembra-te do repouso sabático (Ex 20,8).

Lembra-te começa com um zain em hebraico.

7 dias da semana, 7 cores do arco íris, 7 planetas conhecidos dos antigos com os 7 metais que lhes correspondiam.

A simbologia por excelência é a do o shabat, sétimo dia (300+2+400).

A palavra shabat também significa retorno – shab (300+2)

A palavra sete, sheba (300+2+70), está relacionada com satisfação – soba (300+2+70).

O sétimo dia é satisfação pois retorna-se ao Uno.

Evoca morte e ressurreição.

Depois de Cain e Abel, nasce Shet (300+400),

Unificação do masculino (3 – um pênis e dois testículos) (zahar) e do feminino (4 – quatro lábios da vagina) (nequeivá).

No sétimo dia, os dois conceitos se encontram, na unidade.

O shabat começa com a dualidade: dois pães, duas velas… que se unificam, de forma não utilitária.

A expressão Zahar u nequeivá (masculino e (Vaf – 6) feminino) – soma 390.

Shamaim – ceús – também soma 390.

A união do masculino e do feminino, para a mística judaica,

vai além deste mundo, desta dimensão.

Não é bom que o homem esteja separado de si mesmo. Façamos uma ajuda, um face a face… (Gn 2,18)

Ajuda, ezer em hebraico, construída em torno do pilar de um zain.

O verbo deixar, azab, também está construído em torno do pilar de um zain.

Deixa teu pai e tu mãe…

Caim será vingado 7 vezes mas Lemek setenta e sete (Gn 4,24)

Perdoar, não até sete, mas setenta vezes sete (Mt 18,22)

7 vezes 7 = 49 e jubileu do 8 (50)

O sete é morte-ressurreição,

Morrer e ressuscitar incansavelmente até a ressurreição final.

A imagem do perdão do homem deve ser a do perdão divino, infinito.

Em matemática, o infinito é um oito deitado.

A ressurreição é um oito de pé.

Nos 6 dias da criação:

“E entardeceu e amanheceu…” no relato de Gênesis.

Isso não ocorre no sétimo dia, pois não concluiu-se e até hoje perdura.

O sétimo dia tem um caráter de segundo dia,

pois vem depois dos seis primeiros.

Dia segundo, no sistema da criação.

Horror para os historiadores.

Salmo 92: Nele não há desvios.

Existe toda uma métrica entre a palavra dia Iom, e a pomba e o seis e o sete.

Entre Páscoa e a Festa das Semanas são 7 semanas (7 x 7= 49).

Sete ao quadrado. Plenitude. Jubileu.

50 dias. Pentecostes. Festividade das sete semanas

Nuvem, anan (70+50+50) evoca a união do concreto 70 com o outro mundo 50 (depois do 49)

Se o sete é morte, a passagem, o oito é ressurreição.

Na Páscoa, começa a colheita das espigas.

Finados. Fenados.

Em pentecostes, está concluída a colheita.

Passa-se a outra dimensão de plenitude.

Encontro com/dom o/do Santo Espírito

O número 13

A primeira comunicação de um período temporal na Bíblia,

depois dos seis dias da criação e do sétimo dia,

são os 130 anos de Adão quando ele volta a ter um filho (Gn 5,1-3).

Sinai (60+10+50+10), toca os ceús, e vale 130.

Escada de Yaacov, toca os céus.

Escada, sulam, (60+30+40) vale 130.

O valor da palavra olho é 130 (ain – 70+10+50)

Unificação do de baixo com o de cima.

Expressão do 13 nas dezenas (130).

Uno, um em hebraico echad, 1+8+4 soma 13.

O 13 segue ao 12, que ainda corresponde a este mundo.

O 12 é a combinação irrealizada de 3 x 4.

O 7 e a unificação hermafrodita do 3 com o 4.

Tanto o 7, como o 12, esperam culminar no 8 e no 13.

Era meta de Yaacov ter 13 filhos, mas devido a Ruben ficaram só em 12 (Gn 35,22).

As 13 midot ou qualidades de Deus, medidas de bondade (Ex 33,19)

Por essas 13 medidas, o mundo é avaliado e mudado (Ex 34,6-7)

O 13 mês não é deste mundo, está fora de nosso tempo,

como a 25 hora ou o oitavo dia.

Nossas fronteiras estão baseadas no 7 e no 12.

13 = 1 = UNO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *