A GUIRLANDA DE NATAL

guirlanda1

(07/10/2006)

 

Evaristo Eduardo de Miranda

 

Está chegando o tempo do Advento. Um dos símbolos mais visíveis do Natal é a guirlanda, colocada na porta de entrada das casas. Essa grinalda circular é feita de ramos vegetais entrelaçados e enfeitados com fitas, sinos e objetos. Ela ajuda a mergulhar no mistério da encarnação. Ao contrário da árvore de Natal e do presépio, símbolos interiores montados dentro das casas, a guirlanda é exposta no exterior de cada lar. Ela significa: esta casa é um lar iluminado de paz e fraternidade, que aguarda e participa do mistério da encarnação, do nascimento do filho de Deus.

A guirlanda de Natal é feita pelo entrelaçamento de dois ramos verdes de plantas. O entrelaçamento desses dois ramos simboliza o mistério da encarnação do Verbo. Deus se fez carne e habitou entre nós. Ele tomou corpo humano. Jesus é verdadeiro Deus e verdadeiro homem. O verde é a cor da esperança. No hemisfério norte, o Natal ocorre no inverno. As únicas árvores verdes são pinheiros (usados na árvore de Natal) e arbustos de folhas coriáceas (usados na guirlanda). Essas plantas secam sem murchar e não perdem a cor verde ou os frutos, mantendo a vivacidade. As fitas vermelhas são um sinal da frutificação. Os detalhes dourados prefiguram a glória do Reino vindouro.

A forma circular da guirlanda evoca o infinito, o sem fim, o “Ó” da Nossa Senhora do Ó. Deus habita entre nós para sempre. O círculo não tem princípio, nem fim. É um sinal do amor eterno de Deus, sem princípio, nem fim. Também nosso amor a Deus e ao próximo nunca deve acabar. O círculo evoca o elo, a aliança e a união entre Deus e nós. Em sua forma solar, a guirlanda simboliza os ciclos cósmicos do solstício (22 de dezembro), da vitória da luz sobre as trevas, próprios do tempo de Natal.

Publicado em:

MIRANDA, Evaristo Eduardo de. A Guirlanda de Natal. A Tribuna, Campinas – SP, v. 97, p. 13, 2006.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *